Cidades Aderentes

Atualmente, com autorização de residência e segundo as estatísticas oficiais, residem em Portugal cerca de 600 mil pessoas de origem estrangeira (entre 4 a 5% da população), principalmente oriundas (por ordem de importância em termos numéricos) do Brasil (22%), Cabo Verde (7%), Roménia (6%), Ucrânia (6%), Reino Unido (5,5%), China (5,3%), França (4%), Itália (3,9%), Angola (3,8%) e Guiné-Bissau (3,4%). Estimam-se que existam mais pessoas de origem estrangeira a residir em Portugal que ainda não obtiveram estatuto de residente ou fizeram conhecer a sua intenção de prolongar a estadia aos serviços oficiais. Existem ainda, um pouco por todo o território nacional, importantes comunidades de etnia cigana (cerca de 25 mil pessoas) e uma elevada percentagem de pessoas descendentes de migrantes (2as e 3ªas gerações)  – dados observatório migrações 2019 e observatório das comunidades ciganas.

Sabemos, no entanto, que é necessário mais do que legislação progressiva para tornar um local verdadeiramente acolhedor e assegurar a inclusão de todas as pessoas.

A Rede Portuguesa de Cidades Interculturais é uma rede de 13 cidades (Albufeira, Amadora, Beja, Braga, Cascais, Coimbra, Lisboa, Loures, Oeiras, Portimão, Santa Maria da Feira, Setúbal e Viseu), parte de uma rede internacional de 141 municípios em todo o Mundo, empenhadas em criar cidades mais inclusivas. São concelhos onde o executivo, e todas as pessoas que trabalham no município, estão empenhadas em promover ativamente a Diversidade local, acolher famílias recém-chegadas e assegurar que todas as pessoas se sentem incluídas.

Estas cidades têm vindo a trabalhar em conjunto de forma a desenvolver atividades e recursos essenciais para que a inclusão seja uma realidade e não apenas uma intenção. O nosso site reúne toda a informação sobre os projetos e atividades, bem como sobre os produtos que foram sendo traduzidos e criados pela rede nacional.

Clique no botão abaixo para conhecer todas as cidades interculturais da rede Portuguesa (listadas por ordem alfabética) e os seus projetos para a diversidade e inclusão.

%d bloggers like this: