Projeto Inclusion Influencers: os jovens e os rumores

Por: Mab Marques

Nos meses Julho e Agosto, do presente ano, foram realizados, no âmbito do projeto Inclusion Influencers, três sessões de Focus Groups com jovens entre 11 e 21 anos, na sua maioria migrantes a viver em Portugal. O objetivo destas sessões era perceber acerca do entendimento dos jovens relativamente ao significado de rumores e suas consequências na vida das pessoas.

Um dos três Focus Groups que realizámos no âmbito do projeto Inclusion Influencers

O projeto

O projeto Inclusion Influencers surge por parte das várias cidades-membro da RPCI e resulta da vontade de abordar e trabalhar problemas de discriminação identificados nas mesmas – as cidades Portuguesas vêm percebendo o aumento dos movimentos de extrema direita no país e os riscos que os jovens correm de incorporar crenças errôneas sobre minorias e migrantes que estão sendo disseminadas nas redes sociais; a força dessas comunicações não está a ser correspondida por narrativas alternativas nas redes sociais, e a maioria dos jovens e crianças não têm o mesmo acesso fácil a outras perspectivas e informações confiáveis. Com isto, concluiu-se que o futuro das políticas de inclusão e do ambiente de inclusão social que vivemos em Portugal pode estar em risco e que é necessário agir com urgência.

Com este projeto, pretendemos expor as questões de forma a desmistificar e desconstruir mitos relacionados com os migrantes no nosso país, para ajudar no desenvolvimento de espírito crítico, tomada de consciência e aumentar a sensibilidade e empatia para estes temas – tornar os jovens em “agentes da mudança”, “agentes antirrumores”. Estamos a fazer isto através da criação de produtos digitais (vídeos, memes, podcasts e webinars) em conjunto com influencers e jovens.

A mecânica e as conclusões dos Focus Groups

Foi apresentado aos jovens o conceito de rumor que é uma ideia ou suposição, específica que visa ser acreditada, passada de pessoa para pessoa, normalmente de boca em boca, sem que haja referências seguras a qualquer tipo de evidências nem por quem fala, nem por quem escuta.

Além disso, os rumores podem trazer grandes danos para aqueles que sofrem com essas ideias, que podem gerar como consequência estereótipos que são crenças que temos sobre as características de um grupo específico e acabamos por generalizar, principalmente quando são características que nos diferenciam de outros grupos, como por exemplo, a idade, o gênero, a etnia, a nacionalidade, a aparência física, etc. Tais generalizações com conotações negativas, podem gerar preconceitos, ou seja, podem fazer com que a partir dessas crenças tenhamos o sentimento de antipatia, desconfiança e medo diante das pessoas estereotipadas. Em resultado da influência causada pelos estereótipos e preconceitos relativamente à nossas atitudes e comportamentos em relação as outras pessoas, pode-se haver uma consequência ainda pior que é a discriminação, onde o sentimento passa a ser uma ação como por exemplo, a xenofobia, o racismo, a homofobia, etc.

Nesse sentido foram feitas perguntas sobre o que são rumores, quais as consequências desses rumores e se os jovens já haviam sofrido com algum rumor e suas consequências como o preconceito e a discriminação e o que eles fizeram para combater os rumores ou fariam para combate-los.

A conversa girou em torno do tema com a utilização de atividades interativas, que levavam à reflexão e podiam ser respondidas de forma anonima para que cada jovem ficasse à vontade para expor a sua ideia. Em uma das atividades foi apresentada uma serie de histórias em quadrinhos/ bandas desenhadas, com exemplos de atitudes e diálogos que fomentam o rumor. Alguns jovens sentiram-se mais a vontade que outros para compartilharem das suas experiências ou relatarem sobre coisas que já haviam escutado no seu ciclo familiar ou de amizade e outros jovens mantiveram-se mais calados.

No final de cada sessão, foi perguntado aos jovens sobre os rumores que eles costumam ouvir nas cidades em que residem e alguns disseram em termos gerais que acham Lisboa uma cidade pouco inclusiva, que ouvem grandes rumores sobre as nacionalidades das pessoas que residem nas cidades, em especial a brasileira e, trouxeram ainda relatos de rumores que dizem que os imigrantes vêm para Portugal roubar os empregos dos portugueses e que muitos acabam por pedir auxílio ao governo. Outro rumor trazido por eles foi relativamente à comunidade cigana, o qual relataram acerca do que ouvem sobre o comportamento dos mesmos. Além disso, uma das jovens relatou uma situação de discriminação racial que a mesma experienciou juntamente com um amigo.

De um modo geral, estas sessões foram importantes para que pudéssemos perceber qual o entendimento dos jovens sobre este tema, e também perceber quais são os rumores mais frequentes nas cidades em que o projeto está sendo realizado; finalmente, permitiu-nos ainda perceber como esses jovens se comportam diante dessas situações e fazê-los refletir sobre como eles acreditam que seja a melhor maneira de se comportar diante de uma faísca de rumor. A maioria deles estão dispostos a nos ajudar a combater o rumor e estamos neste momento a trabalhar nisso em conjunto.

#nãovásnaconversa #nãoalimentesorumor #diznãoaorumor

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: